PINTURA A ÓLEO SOBRE TELA

¡TODOS OS POEMAS PUBLICADOS NESTE BLOGUE ESTÃO PROTEGIDOS PELA LEI COMO PROPRIEDADE INTELECTUAL DO AUTOR, A SUA CÓPIA TOTAL OU PARCIAL NÃO AUTORIZADA É UM ACTO ILÍCITO - PASSÍVEL DE ACÇÃO - PREVISTO NA LEI!

¡ A FONTE DE INSPIRAÇÃO !



              Por mais que eu me sequestre...
                 Aquela fonte me retoma !
            Desenhasse na minha lembrança,
               seus contornos imprecisos ...
                 Fonte límpida, rio claro,
      atravessando minha alma sem escoriação !

              Evocação inscrita, poesia,
              pintura, acordes de música...
         Onde surgem os palustres afogados,
       lugares destroçados, sonhos inacabados !
               O rio que a fonte deu origem
         são águas que banham meu coração !

              A fonte vem da minha infância,
         e principia com águas de pouco caso,
            e vai ganhando lenda e autoridade
                  a cada braça percorrida !
     Outros rios se vêm juntar formando vasto caudal,
            e tornam-se pertença da humanidade
                 como peças de criação ...
                 Dote de sagrada bênção !

         Que se junta aos cantos das sereias,
     dos mares revoltos, das cascatas, das aves,
       dos ventos ruidosos ou das suaves brisas ...
    E pairam no ar em sinfonia terrestre de harmonia !

              Que o diga a mais grita voz ...
              Que tudo que minha alma sente,
              foi água bebida em pura nascente ...
              Que era pertença de todos nós !




                  Poema de, Rogéria Gillemans. 
¡ Registado no Ministério da cultura - Inspecção Geral das Actividades Culturais, I.G.A.C. – Processo N°3089/2009 !