PINTURA A ÓLEO SOBRE TELA

¡TODOS OS POEMAS PUBLICADOS NESTE BLOGUE ESTÃO PROTEGIDOS PELA LEI COMO PROPRIEDADE INTELECTUAL DO AUTOR, A SUA CÓPIA TOTAL OU PARCIAL NÃO AUTORIZADA É UM ACTO ILÍCITO - PASSÍVEL DE ACÇÃO - PREVISTO NA LEI!

¡ UMA LÁGRIMA SOBRE A LUA !

















          Salve, Lua solitária !...
          Que brilhas tímida sobre esses montes,
          derramando luz maviosa nos horizontes !
          O teu suave brilho quando lânguido ...
          se esbate pelos campos cintilando de relva
          em húmido orvalho se esmalte !

           Escusai-me Senhor ...
           Se entre as flores formosas e ledas
           que esta vida enfeitam é um dom da Lua,
           ou de lágrima caída Tua !
           Perdão Senhor !... Se vou aos risos da ventura
           entre as rosas do Amor com triste canto ,
           provocando talvez em Vossos lindos olhos amargo pranto !

           Hoje triste lembrança me convida,
           a entretecer um ramo cipreste
           nas páginas mimosas da minha vida ...
           Onde se ostentam com fulgor Celeste,
           Orquídias, Anémonas, Lírios e Rosas !
           Mas que tem isso !?
           Lá onde viceja a flor do riso
           e da felicidade que zéfiro bafeja ,
           também vegeta a lívida saudade
           que lágrima goteja !

           Uma saudade ... Eis o que diz meu canto !
           Uma saudade, é esta a flor
           que em Vosso jardim planto ,
           regada de amargurado pranto !
           Aceitai Senhor !...
           Este poema voto de um coração,
           dentro do qual existe ainda a memória
           de alma pura e serena ...
           Com sonhos dourados que Anjos inspiram
           embalando meu vago pensar ...
           São castos mistérios do amor,
           que no meu seio vêm murmurar !

           Uma lágrima derramada sobre a Lua ...
           Embalada em sonho ameno ...
           Como o cisne e a flor
           que desliza em lago sereno !
           Se tão triste lembrança Vos magoa ...
           Ao vate Perdoai ...
           Que também chora o pranto que Chorais ...
           É orvalho de coração belo que cai em Teu jardim
           sobre o lírio singelo, puro e belo ...
           E desabrocha essa flor tão linda assim !                            


              Poema de, Rogéria Gillemans. 
¡ Registado no Ministério da cultura - Inspecção Geral das Actividades Culturais, I.G.A.C. – Processo N°3089/2009 !